Na estreia oficial em casa, São José EC é surpreendido pelo Real Cubatense e sofre primeiro revés

Ruero, joseense, lamenta uma das muitas chances perdidas. (Foto: Rodolfo Moreira/Jornal Joseense News)
Ruero, joseense, lamenta uma das muitas chances perdidas. (Foto: Rodolfo Moreira/Jornal Joseense News)
Ruero lamenta uma das muitas chances perdidas. (Foto: Rodolfo Moreira/Jornal Joseense News)

A estreia joseense em casa no Campeonato Paulista da Segunda Divisão não foi como todo mundo esperava. Na primeira partida diante da torcida no Estádio Martins Pereira, o São José EC foi surpreendido pelo caçula Real Cubatense, levando sonoros 1×3, sofrendo o primeiro revés no campeonato.

O São José começou com muita posse de bola. Jogando bem pelas laterais, a Águia do Vale era empurrada pela torcida que encheu as arquibancadas e fez festa os 90 minutos, mas sem conseguir atacar o goleiro Dellamonica, do Cubatense.

A equipe adversária começava a sair aos poucos e assustar o goleiro Robert. O baque maior veio aos 36 minutos quando, em falta sobrada pela esquerda, a bola bateu em Roberto, na zaga joseense e se ofereceu a Raphael, que nem teve tempo de empurrar pro gol. A bola apenas desviou no camisa 9 e morreu no fundo no gol joseense; Real Cubatense 1×0.

Na segunda etapa o jogo se manteve o mesmo. O São José continuava com mais posse de bola, mas não atacava o Cubatense, que apostava nos contra-ataques e no erro joseense para chegar com perigo à área defendida por Robert. A situação piorou quando, aos 13 minutos, o técnico Oliveira tirou Gustavo, o jogador mais habilidoso do meio campo joseense que, mesmo mais apagado, como todo o elenco, levava mais o time ao ataque, e colocou Marlon, deixando o São José sem criação, deixando parte da torcida na bronca.

A torcida, que fazia festa e tentava empurrar o time joseense ao ataque, se calou aos 11 minutos, quando em bola levantada na área, Marco Aurélio acertou um voleio sem pulo, matando o goleiro Robert que estava adiantado, para euforia dos poucos torcedores do Guará Vermelho presentes ao Martins Pereira; Cubatense 2×0.

A torcida empurrava, cantava, mas muitos já não acreditavam num possível empate joseense. Aos 42 minutos, boa parte dos 1.028 torcedores pagantes já haviam deixado as dependências do Martins Pereira quando Josué, após cobrança de escanteio, na insistência, tirou o grito de gol da garganta da torcida! São José 1×2.

Alguns torcedores que se dirigiam ao portão de saída voltaram para as arquibancadas cantar e empurrar a Águia, que naquele momento merecia o gol de empate, mas a empolgação durou pouco. Em outro escanteio da Águia, a bola sobrou para Ruero na meia lua, que tentou o passe e errou, dando chance de contra-ataque ao Real Cubatense; Josué arrumou forças de onde não tinha, ganhou na velocidade e roubou a bola do atacante adversário, mas na chegada do apoio, após tentativa de estouro pra frente, a bola explodiu na perna do jogador joseense e se ofereceu livre, na entrada da área para Jefferson, o camisa 11 dominou, fintou Robert que ainda saiu bem, mas foi superado pelo atacante cubatense, que deu números finais a partida; Real Cubatense 3×1 São José EC.

Com o resultado, os adversários subiram para a quarta posição, entrando na zona de classificação com 7 pontos, o São José EC se manteve na vice-liderança com 10, mas pode ser ultrapassado pela Mauaense, que joga na manha de domingo contra o Jabaquara em Santos.

Na próxima rodada, o São José E volta a Guaratinguetá, onde enfrenta o Manthiqueira no sábado, às 15h, valendo a liderança do Grupo 4, já o Real Cubatense recebe, no Estadio Espanha, em Santos, sob seus domínios a equipe do União Mogi, no domingo às 10h.

Felipe Viana
Criador e idealizador da Web Rádio Arquibancada Esporte Clube. Proprietário da Viana Assessoria de Comunicação
http://www.arquibancadaec.com

Deixe uma resposta